• Maismedicina.com.br

Infecção pelo Coronavírus-19

Pelo médico Pneumologista pediátrico Gilvan Cruz Barbosa

O atual surto de infecção pelo Coronavírus 19, oficialmente chamado COVID-19, iniciou no final de 2019 na cidade de Huwan na China, cujos primeiros casos ocorreram em pessoas que trabalhavam em um mercado de frutos e animais silvestres. Na verdade o Coronavírus não é um vírus descoberto agora. O COVID-19 é a sétima espécie de Coronavírus conhecida, sendo essa semelhante em 80% de sua estrutura a outro de nome SARS-COV. A preocupação da OMS reside no fato de ainda não se conhecer o total potencial de virulência dessa nova mutação e daí as estratégias de tentativa de controle de sua transmissão em todo o mundo. Mas o que se sabe até agora?


O COVID-19 é transmitido por via aérea através de gotículas expelidas na fala, tosse e espirros ou pelo contato de tocar e apertar mãos ou superfícies contaminadas e em seguida levar a mão a boca, nariz ou olhos. O período de incubação(tempo entre a contaminação e os sintomas) é em torno de 5 dias, e uma pessoa é capaz de contaminar aproximadamente 4 outras pessoas.


A maioria dos doentes apresenta quadro simples de gripe, com tosse, febre, coriza nasal, dor de garganta. Ainda podem ocorrer dores musculares e fadiga. Os casos mais graves apresentam cansaço e falta de ar e podem evoluir para insuficiência respiratória. Os pacientes mais susceptíveis a apresentar quadros graves são idosos e pessoas com doenças crônicas de coração, pulmão, rins e fígado, além de gestantes, imunodeprimidos e diabéticos.


Até o momento 80% dos óbitos ocorreram em pessoas acima de 60 anos, e 75% com doença prévia. Não há registro de mortes em crianças até o momento. A taxa de letalidade ocorre entre 1 e 2% dos infectados.


Não existe tratamento específico para a infecção pelo COVID-19. Por enquanto o melhor tratamento é a prevenção. Segue algumas medidas de prevenção:

1. Lavagem de mãos com água e sabão,

2. Quando não possível pode-se usar álcool em gel.

3. Deve-se evitar contato com doentes e

4. Cobrir a boca e nariz ao tossir.

5. Quando espirrar usar lenço descartável

6. Limpar objetos que possam estar contaminados

7. Uso de máscaras cirúrgicas apenas por doentes para evitar transmissão


Os quadros leves devem fazer tratamento em casa e evitar contato o máximo com outras pessoas. Apenas os quadros graves devem fazer tratamento hospitalar. Muito ainda há o que se aprender e conhecer do COVID-19, os cientistas ainda estão observando como se comporta o vírus no que diz respeito a sua transmissibilidade, virulência e o que pode acometer nos seres humanos. Cabe a nós tentar prevenir a infecção com atitudes simples como lavar as mãos.

Mais medicina