• Maismedicina.com.br

O uso indiscriminado de Testosterona

Atualizado: 13 de Fev de 2018

Pelo Urologista Dr Luiz Luna Barbosa



O uso indiscriminado de ESTERÓIDES (Testosterona e seus derivados) com a finalidade de melhorar a composição corporal (aumento da massa magra-hipertrofia- com redução da massa gordurosa) e do rendimento nos treinos (ganho de força e resistência) tem se tornado um problema frequente no consultório de Urologia. Se o organismo recebe testosterona exógena (via intra-muscular, transdérmica ou oral) ele entende que pode parar de produzir a testosterona endógena (testicular), e o que é mais grave, perde o estímulo hipofisário para produção de LH (hormônio luteinizante), que é responsável pela sinalização de que a célula de Leydig testicular deve produzir testosterona porque os níveis no sangue diminuíram . Ou seja, quando o indivíduo cessa a oferta de testosterona exógena (interrompe os ciclos), depois que esta testosterona é metabolizada, o seu organismo está sem produzir a testosterona endógena e perdeu o estímulo hipofisário para iniciar a síntese de testosterona testicular. Isso leva a uma queda súbita nos níveis de testosterona plasmática, geralmente levando a quadros de hipogonadismo sintomático, com diminuição considerável na libido e na qualidade das ereções e disfunção erétil, bem a como déficit cognitivo, fadiga e até humor deprimido em alguns pacientes. A diminuição da testosterona intra-testicular (que deve ser de 100-150x maior que a testosterona no sangue) pode levar a infertilidade masculina. Um outro fato grave é que o excesso de testosterona no organismo, como por exemplo, um paciente que tem níveis normais de testosterona (eugonádico) e recebe SEM NECESSIDADE Testosterona exógena durante os ciclos para melhora da composição corporal, pode ter o EXCESSO DE TESTOSTERONA convertido em ESTRÓGENO (hormônio feminino) pela enzima chamada Aromatase. O Estrógeno ao nível da mama, exerce estímulo sobre a mesma, levando a ginecomastia. Geralmente a ginecomastia pelo uso de esteroides é assimétrica, ou seja, uma mama fica maior que a outra, o que gera um dano estético importante para quem já está procurando melhora na aparência! Depois vou postar como tratar um eixo hipófise-testículo que está bloqueado pelos famosos ciclos de Testosterona.


Mais medicina