Mais medicina 

  • Maismedicina.com.br

UM RISCO QUE NÃO SE VÊ: ÓCULOS FALSIFICADOS E A SAÚDE HUMANA

Pela PhD. Tassia Campos de Lima e Silva e Especialista Stephania Kiyoka Mine Mesquita

Os óculos se tornaram peça fundamental para o cotidiano e saúde visual, deixou de ser um instrumento de correção e adaptação sendo considerado atualmente como forma de expressar a personalidade do usuário. No entanto, sua escolha deve ser cuidadosa e ir além da estética.


Por ser um país tropical, o Brasil possui um índice de radiação ultravioleta (UV) que pode chegar a 13,4 como em Brasília (INMETRO, 2015), esse índice varia do 0 ao 16. Sendo o uso dos óculos de sol recomendado para evitar danos oculares como a catarata e até dermatológicos como câncer de pele na região periorbital.


Todavia, o mercado informal caracteriza um fator preocupante no que concerne a saúde pública, pois muitas vezes, os produtos comercializados não cumprem as normas e recomendações nacionais (ANVISA/INMETRO). Esse fato leva não só a “não proteção” como também se revela como agente agressor a saúde.


Segundo Cintra e Ventura (2012), as lentes que possuem filtros atenuadores de UV inadequados, permitem a penetração desses raios uma vez que os olhos se adaptam as lentes escuras, inibindo o mecanismo de defesa natural (contração das pupilas). A exposição prolongada pode trazer danos à retina, ao cristalino e à córnea, resultando em diminuição da visão, desenvolvimento de catarata, opacidade ou, ainda, queimaduras superficiais (ABNT,2004).


Mas os riscos não se limitam apenas às lentes, as armações também são agentes que preocupam. Os materiais empregados nas armações, a forma de montagem (que pode levar posteriormente ao desprendimento e ferir a face do usuário) e o design podem levar a danos. Alergias ao níquel, por exemplo, são causadores de dermatites de contato de usuários expostos a armações que não seguem a regulamentação técnica.


A NBR15111 (ABNT, 2004) refere que os Riscos associados no Resultado geral da análise em produtos irregulares e piratas foram: Riscos de irritação cutânea, reações tóxicas, danos à pele (alergias), Riscos de lesão à visão e à integridade física (rosto/cabeça). Os Requisitos verificados foram: Qualidade do material e da superfície, Resistência mecânica, Estabilidade da radiação, Inflamabilidade (lentes), Requisitos mecânicos (que levaram a quebra da armação, deformação da lente e armação e retenção da lente). - Fonte: Associação Brasileira de Produtos e Equipamentos Ópticos (Abiótica).


Contudo, o consumidor deve estar atento, pois usar óculos sem controle de qualidade, vendidos em camelôs ou lojas não especializadas aumenta os riscos de erros na fabricação das lentes e das armações.